Discos

Uma toccata brasileira

Wolfgang Lindner

miércoles, 22 de enero de 2003
Toccata. Calimerio Soares: 'Toccata' (1989) pelo quarteto de violões '4 Crescente' (gravada na sala Camargo Guarneri do Departamento de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Uberlândia em 10 de junho de 2000); 'Dois momentos nordestinos' (1981) por Beatriz Balzi, piano (gravados no Teatro Eberrhalle de Hamburgo em maio de 1995); 'Cravocembalada' (1980) por Rosana Lanzelotte, cravo (gravado no Rio de Janeiro em abril de 2000); 'Study in D', obra eletrônica realizada no estúdio do Departamento de Música da Universidade de Leeds em 1994; 'Bachiana Mineira' (1983) por Myrna Herzog, viola da gamba (gravação realizada por David Feldman em Raanana, Israel, nos dias 30 de março e 1 de abril de 1999); 'Batuccata' (1998) por Igor Kipnis e Karen Kushner, Bösendofer 275-SE Computer Grand Piano (gravada na Maestro Foundation de Santa Mônica, Califórnia, por James Turner, engenheiro de som, e Aaron Mendelssohn, produtor, em 30 de abril de 1999); 'Suite Antiga' (1979) pelo Quarteto Antunes (gravada pela Gravadora Planeta Comunicação de Brasilia-DF em 2 de junho de 2000); 'Serenata nº 3' (1979) por Charlotte Bird, oboé e Martin Dodson, piano (gravada no Clothworkers Centenary Concert Hall do Departamento de Música da Universidade de Leeds em 1994); 'Toccata Longa' (1972) por Marco Aurélio Lischt, órgão (gravação digital pela Radio Cultura FM de São Paulo do concerto celebrado na Basílica de Nossa Senhora da Assunção, Mosteiro de São Bento, no dia 10 de agosto de 1995) e 'Trío' pelo Taurean Piano Trio (gravada no Clothworkers Centenary Concert Hall do Departamento de Música da Universidade de Leeds em 16 de novembro de 1995). Calimerio Soares, produtor. Produção de Sonopress Rimo da Amazonia Ind., 2002. Um compacto DDD de 59 minutos de duração compilado em maio de 2001. CSCD 001
"Toccata" significa - quanto à concepção da forma musical - a fixação escrita de uma improvisação: à semelhança de uma fantasia melodicamente livre, executada em cordas - ou, no caso de instrumentos de teclado, encontra ela uma aplicação especial como introdução para experimentar a habilidade dos dedos - uma permutação entre desenvolvimento, acordes e criações polifônicas.Também em Bach a "Toccata" é um recurso, como, por exemplo, na experimentação de um órgão, para testar o desempenho do fluxo de ar e a afinação do instrumento.O CD de mesmo nome "Toccata", do eminente compositor brasileiro, pesquisador e professor universitário Calimério Soares, apresenta uma retrospectiva musical dos últimos 25 anos de sua atividade.I. Toccata (1989), para quarteto de violões - Interpr.: Quarteto 4 Crescente.A referida composição em três partes empolga pela sua riqueza rítmico/melódica; no trecho central, mais lento, liricamente agradável, o compositor deixa surgir, sob figuras rítmicas encadeadas, uma melodia lasciva e levemente galante: tudo soa como uma improvisação leve. Na última parte, vai bem ao compositor a linguagem musical por intermédio, agora, dos parâmetros aprimorados de Tempo, de Rítmo e de Melodia.Na interpretação do "Quarteto 4 Crescente", um "Festival Brasileiro de Violões".II. Dois Momentos Nordestinos (1981) a) Lamento b) Dança – Interpr.: Beatriz Balzi.Uma mística musical nos sobrevém em Lamento: a ressonância das cordas do piano, esfregadas com as mãos espalmadas, acompanha figuras melódicas quase contemplativas. Aqui aprendemos a conhecer o lado íntimo do compositor Calimério Soares, inclusive sua tendência para sons sutis e tons suaves.Na Dança, peça vital, o compositor deixa aparecer um ritmo de percussão, que, na verdade, deveria chamar-se "Groove"; elementos à semelhança de jazz rememoram o talento de Keith Jarret ou Chick Corea; só que aqui tudo é elaborado! Quem mais poderia fazê-lo?Interpretação conclusiva, com muito amor ao detalhe!III. Cravocembalada (1980) – Interpr.: Rosana LancelotteCravocembalada utiliza as possibilidades de expressão do cravo em seus intervalos acústicos - intensificadas entre si mesmas as disposições de acordes para multissonoridade em potencializações rítmicas - um trecho intermediário, lento, executado no alaúde, quase se atreve ao barroco: a parte final da composição, mais "brasileira" não pode ser. Heitor Villa-Lobos se alegraria com isso!Perfeita e tecnicamente interpretada!IV. Study in D (1994) -Um exemplo do gênero "Música Eletrônica". Também Study in D apresenta o lado introvertido do compositor Calimerio Soares: sua tendência para sons sutis, quase íntimos, como que marcados por mão tranqüila. Study in D se move no equilíbrio entre tensão e distensão, entre repouso e movimento, elementos nucleares da força musical.V. Bachiana Mineira (1983) - Interpr.: Myrna Herzog.A suíte Bachiana Mineira, nos movimentos Prelúdio-Corrente-Adágio-Giga, para Viola da Gamba solo, é um exemplo da aptidão de Soares para descobrir idéias musicais a partir de "minúcias"; para cada movimento desta suíte reside intimamente uma característica singular; a capacidade criadora, como que pura, de Soares, surge para nós na definição para solo instrumental.VI. Batuccata (1998) - Interpr.: Igor Kipnis e Karen Kushner.Batuccata, obra composta no ano de 1998 para o Duo Kipnis-Kushner, é uma Toccata, cujo título procura combinar a dança afro-brasileira Batuque com a Toccata. Ao final desta fulminantemente virtuosa composição faz-se ouvir a canção popular brasileira Senhora Dona Sancha.Na composição e na interpretação, um festival brasileiro de fogos!VII. Suíte Antiga (1979) - Interpr.: Quarteto Antunes.A Suíte Antiga (inicial) de 1979, nos movimentos Prelúdio - Corrente- Sarabanda - Gavotas 1&2 - Giga tem em comum com uma suíte de estilo antigo apenas o título e a marcação barroca de movimentos. Também aqui, Soares utiliza sua linguagem musical peculiar; a música emerge por si mesma, nada é imitado (epigonal), porém decentemente moderado e, portanto, tudo Soares puro!Isto vale igualmente para a interpretação do Quarteto Antunes.VIII. Serenata n. 3 (1979) - Interpr.: Charlotte Bird, oboé; Martin Dodson, piano.Na Serenata n. 3, para oboé e piano, o compositor elabora sons coloridos, quase impressionistas, que na segunda metade da obra, mesclado com elementos sincopados de jazz, de dominância rítmica, se salientam na forma linear de um fechamento final, cujo tema parece ser emprestado da primeira parte da composição.Na composição e na execução: uma pintura multicolorida!IX. Toccata Longa (1992) - Interpr.: Marco Aurélio Lischt, órgão.Um paradigma de tocata é a Toccata Longa, do ano de 1992. Quem disse que não se pode mais escrever tocata para órgão?"Também em Bach, a "Toccata" é um recurso como, por exemplo, na verificação de um órgão, para testar o desempenho do fluxo de ar e a afinação do instrumento."A Toccata Longa já é executada em muitos festivais de órgão latino-americanos, assim como nos Estados Unidos e na Europa!Com a Toccata Longa, temos realmente uma amostra exemplar de tocata para órgão: essa composição requer do intérprete o domínio do instrumento, especialmente no solo de pedal, como base de construção musical "alla perpetuum mobile" (em moto-perpétuo), fundamento métrico da forma musical bem estabelecida.Interpretação conclusiva ao Órgão da Basílica de São Bento. Desejável seria que a Toccata Longa de Soares fosse peça obrigatória nos concursos de órgão!X. Trio (1995) - Interpr.: Taurean Piano Trio.Em Trio, de uma composição concebida em 1995 para violino, violoncelo e piano, deveríamos experimentar, como que num clímax, não apenas o virtuosismo de Soares como compositor par excellence, mas também a habilidade instrumental do Taurean Piano Trio.Com a extrema densidade e extensão musicais da obra (mais de 11 minutos de duração), são colocadas na performance solicitações de elevada técnica. É francamente emocionante seguir a trilha musical do compositor: idéias que parcialmente roubam o fôlego, sempre novas, do compositor e a realização delas na forma musical, ou a ousadia técnica do Taurean Piano Trio - um grandioso final de "Toccata".Tradução brasileira de Johannes B. Sábbatum

Comentarios

Para escribir un comentario debes identificarte o registrarte.