Buscador

Guitarra Galega Vol. 1

void
La artista propone aquí una inmersión irresistible en un universo en el que se siente muy de cerca el incomparable aliento melódico y rítmico de la región noroccidental de la península ibérica.

As orquestras de plectro (5): Ponte Vedra

Autorretrato de Benigno Lopes Samartim em Galicia Cómica, 07/01/1886 © 2024 by Isabel Rei Samartim. Museo da Ponte Vedra
A história da guitarra na Ponte Vedra é longa e larga, a vida musical da cidade deu já para várias teses de doutoramento, alguns livros e muitos artigos de numerosas autoras e autores.

Maria Otero, Evangelino Taboada e a Memória

A música represaliada © 2023 by Diputación de Ponte Fedra
Apresentava-se o livro intitulado A música represaliada, publicado pela Deputação, a conter vinte e três artigos mais um prólogo e um epílogo, sobre diversas músicas e músicos que sofreram o vandalismo dos bárbaros.
Argentina
12/05/2023

La Flauta Mágica en el Colón: una producción bienvenida

Kosky y Andrade, La Flauta Mágica © 2023 by Máximo Parpagnoli
El elenco de cantantes, casi exclusivamente nacionales, fue de rara homogeneidad brillando individual y colectivamente, con el agregado de tener que sostener una propuesta exigente que obliga a interactuar y coordinar movimientos con proyecciones que no pueden ver, o cantar desde unos diez metros de altura sostenidos por arneses.

A música para guitarra no Arquivo Canuto Berea (4)

Anúncio de discos com música galega em 1905 © 2023 by Isabel Rei Samartim
Entre os anos de 1877 e 1880, Miguel Alonso adquire numerosas guitarras e bandurras.Cada um dos tipos define uma qualidade do instrumento que vai desde o mais básico até ao mais refinado.Esta variedade na oferta implica uma também variada e exigente demanda guitarrística na cidade de Vigo.

Uma querela historiográfica

José María Varela Silvari © Dominio público / La Alhambra
A Galeria biográfica de José Maria Varela Silvari provocou um furioso debate público que derivou em inimizades vitais, mas ao mesmo tempo impulsou o avanço dos estudos musicológicos galegos deixando, tanto nos livros quanto na imprensa, informações relevantes sobre intérpretes dos primeiros anos do século XIX, servindo como memória cultural e semente dos atuais estudos sobre a guitarra na Galiza.

Os Cantos populares de Manuel Manrique de Lara (3) A Análise

Manuel Manrique de Lara © Dominio público / José Luís do Pico Orjais
Uma das grandes surpresas que levei ao ler o manuscrito de Manrique de Lara foi a de encontrar uma versão da conhecidíssima O quer que lhe quer.Esta canção virou-se muito popular trás a recriação que Mauricio Farto Parra (1867-1947) fiz para o coro Cántigas da Terra nos anos 20 do passado século.

Os Cantos populares de Manuel Manrique de Lara (2) Texto e contexto

Manuel Manrique de Lara © Dominio público / José Luís do Pico Orjais
Os Cantos populares de Manrique de Lara são anteriores à publicação em Madrid de "Cantos y bailes de Galicia" (1888) de Inzenga, .É certo que Inzenga já publicara em 1875 os "Ecos de España" e mesmo em jornais diários alguma das partituras que depois incluiria no seu cancioneiro, mas antes de 1888 os referentes bibliográficos são outros.

Caderno do Francês: amor em tempos de guerra para guitarra (2)

Capa do Caderno do Francês. © 2022 by Museu da Ponte Vedra / Isabel Rei Samartim
A Sonata escrita para guitarra de seis cordas, sem indicação de autor, é a obra de mais peso de todo caderno.Esta sonata estende-se por várias páginas e desenvolve-se na escritura chamada 'violinística' típica da época, que caracteriza a composição para guitarra.

Caderno do Francês: amor em tempos de guerra para guitarra (1)

Capa do Caderno do Francês. © 2022 by Museu da Ponte Vedra / Isabel Rei Samartim
O autor do "Caderno do francés" poderia ser um guitarrista da época napoleónica, talvez ligado ao mundo militar e/ou político que juntou as suas partituras com o propósito de as ordenar.As obras estão copiadas por várias mãos, em papeis com diferentes tamanhos, texturas e tintas.
Publicidad